Rosana Valle cobra do Iphan tombamento do Panteão dos Andradas


A deputada federal Rosana Valle (PSB) cobrou, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, o Iphan, o andamento do processo de tombamento do Panteão dos Andradas, que foi aberto, a seu pedido, dia 16 de junho deste ano.


Em ofício à superintendente do Iphan em São Paulo, onde corre o processo, Alessandra da Silva Martins, a deputada pede agilidade e lembra que o tombamento do panteão, como patrimônio nacional, visa valorizar a comemoração dos 200 anos de independência do Brasil, a ser celebrada dia 7 de setembro de 2022.


A deputada também apresentou indicação à Presidência da República para que a Capital Federal seja simbolicamente transferida para Santos por um dia, durante as comemorações, em homenagem ao idealizador e Patrono da Independência, o ilustre santista José Bonifácio de Andrada e Silva.


Rosana Valle ainda pediu, formalmente, a realização de uma sessão solene do Congresso Nacional para a celebração da data, em Santos, providenciando, inclusive, o remanejamento de recursos de emendas já designadas para a Secretaria de Cultura de Santos.


Estas e outras providências, já detalhadas à Fundação Arquivo e Memória de Santos (FAMS), estão em tramitação na Presidência da República e no Congresso Nacional no sentido de valorizar a Cidade de Santos e seu vulto histórico mais importante.


“Nosso objetivo é trazer a atenção do Brasil para Santos, com a transferência da sede do Governo à região, de forma que toda a Nação reconheça a importância do Patriarca da Independência”, disse Rosana.


Atuação decisiva


Nascido em Santos, a 13 de junho de 1763, José Bonifácio foi também abolicionista, defensor dos índios, naturalista e poeta. Seu maior feito, que lhe rendeu o título oficial de Patrono da Independência, foi ter atuado de forma decisiva para a Independência do Brasil.


Foi ministro do Reino e dos Negócios Estrangeiros, de janeiro de 1822 a julho de 1823, e apoiou a regência de D. Pedro de Alcântara. Proclamada a Independência, comandou uma política centralizadora e organizou a ação militar contra os focos de resistência à separação de Portugal.


Além de sua atuação política, teve uma destacada carreira como naturalista, notadamente no campo da mineralogia, tendo recebido reconhecimento internacional ainda em vida. Descobriu quatro minerais, incluindo a petalita, que mais tarde permitiria a descoberta do elemento lítio, e a andradita, batizada em sua homenagem.


De personalidade forte, José Bonifácio rompeu com seus irmãos, Martim Francisco e Antônio Carlos, e também com o já imperador Pedro I. Acabou sendo demitido e passou à oposição.


Após o fechamento da Constituinte, em 11 de novembro de 1823, José Bonifácio foi banido e se exilou na França por seis anos. De volta ao Brasil e reconciliado com o imperador, quando de sua abdicação, em 1831, assumiu a tutoria de seu filho. Permaneceu como tutor do futuro Pedro II até 1833, quando foi demitido pelo governo da Regência devido a disputas internas de poder.




7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo