Rosana Valle cobra informações sobre fornecimento de oxigênio

A deputada federal Rosana Valle (PSB/SP) cobrou informações das autoridades de saúde sobre o fornecimento de oxigênio aos hospitais e demais unidades de atendimento aos pacientes de Covid-19 da Baixada Santista, Litoral e Vale do Ribeira. A parlamentar enviou ofícios ao secretário de Saúde do Estado, Jean Gorinchteyn; aos dirigentes da DRS-12 e DRS-4 e ao Consaúde - Conselho de Saúde do Litoral Sul e Vale do Ribeira – para saber sobre os estoques de oxigênio.


O recrudescimento da pandemia da Covid-19 nas últimas semanas evidenciou, em todo o País, mais uma situação dramática: a falta de oxigênio nos hospitais e unidades de atendimento de emergência. A deputada recebeu no começo da semana informações de que o prefeito de Caraguatatuba, Aguilar Júnior, está preocupado com a possibilidade de falta de leitos na sua Cidade e também com o fornecimento de oxigênio para as unidades de saúde do município.


“Com até 67% dos leitos Covid-19 ocupados e com muitos profissionais de saúde infectados, o prefeito de Caraguatatuba, no Litoral Norte, alertou sobre o aumento do consumo de oxigênio. Disse ainda que a fornecedora White Martins informou que está produzindo apenas 1/3 do que está vendendo”, explicou a deputada, lembrando que a preocupação do prefeito reflete um sentimento crescente em todo o País, e que teve maior dramaticidade em Manaus, com a escalada de casos de coronavírus.


“Está claro que há risco de novas falhas no abastecimento, em especial na Região Norte. O drama na capital do Amazonas revela a falta de uma ação planejada com a indústria, que agora tenta elevar rapidamente a produção. Há também deficiência na distribuição”, alertou Rosana Valle, que pediu às autoridades informações a respeito do abastecimento de oxigênio nas unidades de saúde da Baixada Santista, Vale do Ribeira e todo o Litoral Paulista.


“Gostaríamos de receber informações sobre os estoques e saber como está o fornecimento de oxigênio por parte dos fabricantes para a nossa região, que ainda vive um quadro de preocupação, sobretudo com o prolongamento da temporada de verão, que sempre atrai uma significativa população flutuante, que se soma aos moradores locais”, concluiu a parlamentar.




5 visualizações0 comentário