Rosana Valle quer ajudar clubes a não perderem áreas da União que ocupam há anos

A deputada federal Rosana Valle ouviu, nesta segunda-feira (15/3), representantes do Santos FC, da Portuguesa Santista e do Portuários para que possa ajudar estes clubes esportivos e sociais a garantirem a permanência nas áreas da União que ocupam há muitos anos. Cada clube tem uma situação específica, mas todos realizam importantes ações nestes espaços.


Rosana Valle terá uma reunião para tratar deste e outros assuntos importantes com o coordenador do Serviço de Patrimônio da União (SPU), coronel Mauro Filho.


“Vamos tratar da criação de pátios para caminhoneiros nas margens esquerda e direita do Porto; de liberação de áreas para conjuntos habitacionais e também desta questão dos clubes. O deputado estadual Caio França, que é meu parceiro de trabalho, está comigo neste pleito”, disse a parlamentar durante a conversa com os representantes dos clubes, também acompanhada pelo deputado estadual.


O presidente do Portuários, Márcio Felipe, informou que o clube ocupa a área desde 1973. O SPU entrou na Justiça para retomar o espaço, obtendo uma sentença, em primeira instância, que obriga o Portuários e sair em 90 dias após o fim da pandemia.


“Buscamos um acordo para suspender a sentença, que nos garanta a cessão especial por 30 anos, renováveis por mais 60. O clube busca a cessão não onerosa, com contrapartida social, e uma eventual compra, sendo que esta última precisa levar em consideração o valor da terra nua, como estava em 1973. Em todos os casos, precisamos encontrar caminhos para uma boa solução”, explicou Márcio.


Já o presidente da Portuguesa Santista, Antônio Carlos de Abreu, o Carlão, lembrou que, não fossem os clubes, a União certamente não teria mais estas áreas, pois já estariam invadidas, como acontece em várias cidades.


“Estamos há quase um século ali e conseguimos do juiz autorização para um buscar um acordo, por cessão não onerosa, onerosa ou compra. Mas meu receio é que não tenhamos tempo para buscar os parceiros, conseguir uma linha de crédito e definir o que faremos. Por isso é muito importante a ajuda dos deputados e do SPU para que todos saiam ganhando”, ressaltou Carlão.

O vice-presidente do Santos Futebol Clube, José Carlos de Oliveira, disse que a área é ocupada desde 1995, e que o clube foi cobrado pelo Ministério Público para encontrar uma solução, que envolva o cumprimento das contrapartidas sociais exigidas.


“Estamos investindo em crianças carentes, deficientes e esportes olímpicos. O clube havia deixado de divulgar estas ações e agora tivemos que provar que estamos cumprindo”, informou José Carlos, que agradeceu o apoio dos deputados na busca por uma solução.




20 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo