Rosana Valle questiona Petrobras sobre destino dos funcionários da sede no Valongo

A deputada federal Rosana Valle (PSB) enviou ofício ao presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, manifestando preocupação em relação aos funcionários diretos e terceirizados, que trabalham no prédio administrativo da Petrobras no Valongo, em Santos.


“As notícias que recebemos dão conta que a Petrobras pode vir a desativar esse edifício administrativo, com perda de cerca de 1.000 postos de trabalho, afetando o comércio, prestadores de serviço e o projeto de revitalização do Bairro do Valongo”.


Para a deputada, o impacto na região com uma medida dessas seria desastroso para todas as famílias que dependem desses trabalhadores de forma direta ou indireta, justamente agora, quando grandes empresas fazem esforços para amenizar sa situação caótica causada pelos efeitos da pandemia, com doações, auxílios extras e outros gestos de parcerias solidárias, principalmente para manter os postos de trabalho.


Diante desta preocupação, a deputada pergunta à Petrobras quantos são os trabalhadores diretos e os indiretos, das empresas terceirizadas, que ocupam o prédio administrativo do Valongo, em Santos.


Questiona ainda se existe algum planejamento para o fechamento deste prédio administrativo da Petrobras. E, finalmente, solicita uma reunião virtual para que possa esclarecer todas essas incertezas, “que tem deixado em sofrimento um grande contingente de pessoas que vivem esse drama do desemprego”.


A deputada também agradeceu os esclarecimentos prestados pela Petrobras, em Nota Técnica, sobre os funcionários que trabalham na Unidade da Bacia de Santos, em regime especial off shore. A Petrobras informou que a maioria já reside fora da Baixada e que não haverá demissões.




68 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo